Você sabe o que é um Animal de Assistência Emocional?

Um Animal de Assistência Emocional é muito mais que apenas um bichinho de estimação. Apesar disso, eles não são considerados animais de serviços como uma cão-guia, que presta assistência a deficientes visuais.

No entanto, o bichinho de assistência emocional pode até acompanhar seu tutor em uma jornada de avião, no transporte público e entrar em locais proibidos para animais.

Esses bichinhos são oficialmente chamados de Animais de Assistência Emocional (ESAN) e podem ser cachorros, gatos e cavalos, por exemplo. Eles proporcionam conforto e ajudam no controle de sintomas de doenças psiquiátricas de seus tutores, como depressão e ansiedade.

Portadores de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) também podem se beneficiar de um Animal de Assistência Emocional. Caso você tenha suspeita de ter TDAH, realize um teste para TDAH. Se o resultado for afirmativo, procure um psiquiatra para diagnosticar você corretamente e dar início ao seu tratamento.

Vale ressaltar que um animalzinho só pode ser considerado ESAN por um médico psiquiatra.

Os animais de estimação em geral fazem bem para todos os membros da família. Uma publicação científica demonstrou que animais de estimação melhoram a efetividade de antidepressivos em pacientes em tratamento.

Apenas conviver com um ou mais animais de estimação já faz bem, mas isso não torna nenhum deles um Animal de Assistência Emocional. Um ESAN não é nem um animal de serviço nem um animal de estimação. Ele tem a finalidade de gerar apoio emocional para seu tutor através da companhia e vai estar ao seu lado até mesmo no seu louvor feliz aniversário.

Um ESAN estimula a socialização e prática de atividades físicas para pessoas que necessitam desse tipo de apoio, trazendo ganhos para saúde física e mental do tutor, além de reduzir sintomas negativos como estresse, ansiedade e tristeza.

O Animal de Assistência Emocional é um companheiro fiel de seu tutor. Através da interação entre os dois, o tutor fica menos estressado e ansioso. Além disso, um animalzinho desses necessita que o tutor tenha várias responsabilidades, como passear, alimentar, brincar, levar ao veterinário e muito mais.

Essas tarefas podem parecer simples, mas as pessoas adoentadas psiquiatricamente podem ficar com fadiga, falta de interesse por atividades cotidianas, tristeza, melancolia, entre outros sintomas. Um animalzinho de suporte só oferece um empurrãozinho a mais para uma vida funcional e ativa. 

Com o tratamento medicamentoso correto e psicoterapia, a cura pode ser completa, dependendo da doença. Tudo isso na companhia de um animalzinho fofo e companheiro.

Apenas os psiquiatras podem atestar que uma pessoa precisa do suporte emocional de um animal. Isso faz com que a presença do bichinho seja fundamental em diversos momentos, como em aviões.

Ou seja, um ESAN não é um bichinho de serviço como um cão-guia nem um animal de estimação convencional. Ele é um suporte emocional para pessoas psiquiatricamente doentes, cujo médico atestou a necessidade de um Animal de Assistência Emocional.

Caso seja de seu interesse e você entenda que um ESAN só vai trazer benefícios para sua cura, entre em contato com seu psiquiatra e converse com ele sobre isso. Talvez um animalzinho seja o empurrão que você está precisando para melhorar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *